Servidoras celebram o Dia Internacional da Mulher com palestra sobre protagonismo feminino

As servidoras celebraram o Dia Internacional da Mulher nesta manhã, 08/03, na Escola de Governo Henrique Santillo, da Secretaria de Estado da Administração. Apresentação musical, palestra e homenagens marcaram a data e todo o evento foi comandado pelas próprias servidoras.

A comemoração foi iniciada com a interpretação musical de Denise Daleva Costa, da Semarh, que foi acompanhada em coro pelas servidoras. O ponto alto do encontro foi à palestra Engajamento e Empoderamento Feminino – Universo Feminino em Ação, proferida pela servidora da Seduc e doutora em Psicologia, Elisabeth Lemes Martins.

A palestra levantou temas e questões sobre as lutas e conquistas femininas. “A mulher não se faz pelos outros e sim por ela mesma. É importante que ela se autoconheça e saiba que pode transformar a si mesma. Esse é o primeiro passo para o empoderamento feminino”, aponta Elisabeth.

De acordo com a palestrante, o tema Universo Feminino em Ação significa que a mulher pode transformar a si mesma, por meio de processos educacionais. “Para ser protagonista da sua vida, a mulher precisa acreditar naquilo que está fazendo, projetar um caminho e não ficar só na “largada”, pensando na possibilidade de uma “chegada”. É importante saber aproveitar a travessia com firmeza”, aconselha Elizabeth.

Fortalecimento pessoal e enfretamento da violência

Referente às desigualdades salariais, de cargos e de representatividade, a palestrante acredita que a mulher precisa se valorizar e se posicionar para que o outro passe a respeitá-la. “É essencial que possamos sair desse embate de que precisamos ser iguais aos homens. Temos que ser respeitadas pelo que somos e fazemos”, avaliou. Para Elizabeth essa transformação passa por meio da educação e da preparação para o mercado de trabalho. “Eu transformo a minha vida quando eu não desisto de mim mesma.”

Elisabeth atribuiu os casos de violência e de feminicídio à cultura ainda muito arraigada na população de que a mulher é o sexo frágil. “A partir do momento que a mulher mostrar sua força para a sociedade, não só para os homens, pois muitas mulheres também agridem umas às outras, poderemos enfrentar essas situações.”

Homenagens especiais

Quatro servidoras se destacam por suas atuações em ações sociais e voluntariado. Entre elas: Bárbara Antinarelli, da Segov, pelo projeto De Mãos Dadas que compartilha práticas de gestão, finanças, vendas e Doações; Tatiana Romanowski e Janaína Moraes, ambas da Agrodefesa, pelo projeto Missão Sorriso, grupo voluntário que alegra crianças em hospitais e idosos em asilos, e Núbia Peixoto, da Sedi pelo projeto OSCEIA - Obras Sociais do Centro Espírita Irmão Áureo de assistência social e de educação, encaminhamento de Jovens ao mercado de trabalho, auxílio às adolescentes grávidas e combate às drogas.

Comunicação Setorial - Sead