Secretário de Gestão e Planejamento afirma que desmembramento da Segplan vai trazer mais eficiência

O secretário de Gestão e Planejamento do Governo de Goiás, Pedro Henrique Sales, participou nesta quinta-feira (10/1) de uma entrevista ao vivo, pelo Facebook, no jornal O Popular sobre as mudanças em sua pasta. Pedro respondeu também perguntas de internautas sobre a reforma administrativa e a folha de pagamento.

“A Segplan hoje é uma das maiores pastas, cuida de planejamento, orçamento e das estruturas administrativas. Ela tem dois braços, um orçamentário e outro organizacional. Quando foi estudada a reforma administrativa chegou-se à conclusão que o braço financeiro ficaria melhor se fosse acoplado à Secretaria da Fazenda e o braço organizacional na futura Secretaria de Administração (Sead)”, explicou o secretário.

Pedro Sales acredita que o processo de desmembramento da Segplan propicia mais celeridade e eficiência para a secretaria. “Dentro de um contexto gerencial avaliou-se que seria um ganho de eficiência fazer esse corte, já que a estrutura burocrática da Segplan é grande, com o Vapt Vupt, que é o principal órgão de interação com a sociedade, presente em diversos municípios”.

Redução de gastos

Perguntado sobre o andamento da reforma administrativa e a redução de gastos, o secretário de Gestão e Planejamento, Pedro Henrique Sales, explicou que apesar da criação de novas secretarias, o governo trabalha no sentido de reduzir os gastos dentro das estruturas em 20 por cento.

“Nós recebemos um trabalho iniciado pela consultoria Comunitas, que idealizou um enxugamento da estrutura até certo plano, depois os secretários receberam a incumbência de completar a redução de gastos para todas as secretarias”, explicou Pedro Sales, que dentro de sua pasta já solicitou auditoria completa de contratos, sobretudo de informática e frota veicular.

Sobre o corte de comissionados, Pedro explicou que alguns cargos serão extintos e só podem ser ocupados se forem criados novos novamente. No entanto, o Governador não tem a intenção de aumentar despesas com criação de novos postos ou com aumento dos tributos.  “Nós tomamos a decisão de exonerar mais de 5 mil servidores, era necessário pois era o fim de um ciclo e o começo de outro. Os secretários já estão com a recomposição de suas equipes em curso, mas a intenção é extinguir aqueles cargos que haviam em demasia”.

Folha de pagamento

Questionado pelos internautas sobre o pagamento da folha de dezembro, o secretário de Gestão e Planejamento do Governo de Goiás, explicou que no caixa do governo só tem recursos para quitar uma folha salarial. “A orientação do governador é que as duas folhas salarias (dezembro e janeiro) devem ser pagas, isso é inegociável. Mas o governo deve pagar a folha que está vencendo dentro da sua gestão e encontrar uma solução junto com os servidores para resolver o problema da folha dezembro”, contou Pedro Salles.

Comunicação Setorial - Segplan