Secretário de Gestão e Planejamento reafirma que reforma administrativa vai reduzir custos

O Secretário de Gestão e Planejamento de Goiás, Pedro Henrique Sales, participou nesta terça-feira, 8, de entrevista na Rádio Sagres 730 e falou sobre a reforma administrativa do governo, o esforço para pagamentos dos servidores e como deve ser o funcionamento do Estado na gestão do governador Ronaldo Caiado.

“Nós formamos na Segplan um grupo de trabalho para definir a nova estrutura das secretarias, que serão mais enxutas, atendendo as determinações do governador, com foco na redução de 20% nos gastos”, destacou o secretário, que tem feito um levantamento do custo de funcionamento da máquina pública, principalmente com pessoal.

Pedro Sales afirmou que, mesmo com a criação de novas secretarias, não haverá aumento nas despesas, pois as pastas vão absorver superintendências e gerências já existentes, como no caso da Segplan, que deixará de existir. A gestão será de responsabilidade da Secretaria de Administração e o planejamento integrado à Secretaria de Economia.

“Algumas secretarias estão sendo criadas, mas muitas estruturas deixam de existir ou são incorporadas a outras. A sociedade precisa entender que o tamanho e a forma de governo é apenas um modelo administrativo, mas o que importa é ficar claro que o esforço do contribuinte vai ser reduzido”, explicou secretário.

Em relação às agências públicas, como a Agetop, a estrutura, inicialmente, vai continuar a mesma. "A reforma será feita, mas em uma segunda etapa, que também será rápida. Inicialmente, vamos definir a administração direta, enquanto isso as agências continuam funcionando normalmente”.

Cargos e Salários

De acordo com o secretário Pedro Sales, ainda não é possível estimar um número de cargos comissionados que serão extintos. Atualmente, o Estado conta com 7.358 servidores, sendo que destes, 5.520 já foram exonerados. “Muitos destes poderão retornar à estrutura de governo, de acordo com a necessidade de cada secretaria, para que a prestação de serviços não seja prejudicada”.

Comunicação Setorial - Segplan