Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Inflação de setembro fica pouco abaixo de taxa registrada em agosto

Última Atualização: Quinta, 04 Outubro 2018 17:06

    O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) em Goiânia teve variação de 0,42% no mês de setembro, ficando ligeiramente abaixo da taxa de 0,44% registrada em agosto. O acumulado nos últimos 12 meses ficou em 7,04%, muito acima dos 0,16% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. No ano, o índice acumula taxa de 3,89%. Em setembro de 2017 o índice registrado foi de 0,03%.

    De acordo com o economista Marcelo Eurico de Sousa, gerente de Pesquisas Sistemáticas e Especiais do IMB/Segplan, o índice do IPC de setembro foi pressionado, principalmente, pelos reajustes ocorridos nos grupos de Transportes, que subiu de -0,49% para 1,07%, e de Alimentação, que teve variação positiva de -0,14% para 0,50%. Os itens que mais influenciaram o resultado destes grupos foram:  gasolina comum (2,31%), óleo diesel (5,37%) e etanol (2,46%); frango (7,33%), feijão carioca (3,40%), arroz (1,98%), tomate (12,70%), alface (16,61%), melancia (7,58%); margarina vegetal (3,44%); maionese (3,40%) e extrato de tomate (4,31%).

    Os grupos que também apresentaram resultado positivo em setembro foram: Habitação (0,63%), Despesas Pessoais (0,86%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,59%), Artigos Residenciais (0,14%) e Comunicação (0,09%). Apresentaram resultados negativos, os grupos de Educação (-0,57%) e Vestuário (-1,22%).

No grupo Habitação, a energia elétrica teve alta de 1,88%; no grupo de Saúde e Cuidados Pessoais, a lâmina de barbear teve reajuste de 10,17% em relação ao mês de agosto. Dos 205 produtos/serviços pesquisados mensalmente, 113 apresentaram elevação, 26 ficaram estáveis e 66 tiveram variação negativa.

Cesta básica

     O custo da cesta básica para o trabalhador goianiense que ganha um salário mínimo mensal (R$ 954,00) subiu 0,71% em setembro, ficando em R$ 294,14. Dos 12 itens que compõem a cesta básica, oito tiveram alta: legumes e tubérculos (4,46%), margarina (3,44%), feijão (2,68%), arroz (1,98%), café (1,53%), óleo (0,97%), açúcar (0,59%), farinha (0,52%). Outros três itens registraram redução de preços: leite (-3,27%), frutas (-0,70%) e carne (0,34%). O preço do pão manteve-se estável.

Comunicação Setorial - Segplan

Fim do conteúdo da página